Thor: Ragnarok (2017)

Ação, Aventura, Comédia, Ficção Científica | 130 min
Avaliação:
8/10
8

Informações do filme

História do filme

Ao retornar para Asgard, Thor descobre que o trono de seu pai foi usurpado por seu irmão adotivo Loki. Então, o herói obriga o deus da trapaça a levar-lhe até Odin, que revela estar morrendo e profetiza o retorno de Hela, a irmã de Thor. Hela assume o controle de Asgard e envia Thor ao planeta Sakaar, onde ele é escravizado e obrigado a lutar entre gladiadores.

Crítica

Até certo ponto, Thor: Ragnarok assemelha-se a uma versão moderna, e bem humorada, da história de Sansão. Ambos desdenham de seus adversários, depositam sua força em um objeto que lhes foi tirado, são capturados, têm os cabelos cortados e servem de espetáculo para seus inimigos. Porém as similaridades param por aí. Assim como em seus dois antecessores, o filme foca-se nas complicadas relações da família real (e divina) de Asgard. Thor não é mais o deus playboy que conhecemos anos atrás. Sua jornada, desde Thor (2011) até aqui, o tornou apto a governar seu povo, mesmo que ele não queira. Mas uma série de acontecimentos neste último filme faz com que ele reflita no futuro de sua nação.

Sua história lida novamente com a insatisfação dos filhos com seu pai Odin. Desta vez o descontentamento parte de Hela, a deusa da morte. Ao retornar para Asgard, Thor descobre que o trono de seu pai foi usurpado por seu irmão adotivo Loki. Então, o herói obriga o deus da trapaça a levar-lhe até Odin, que revela estar morrendo e profetiza o retorno de Hela, a irmã de Thor. Hela assume o controle de Asgard e envia Thor ao planeta Sakaar, onde ele é escravizado e obrigado a lutar entre gladiadores.

Enquanto Capitão América: Guerra Civil apostou em um leque imenso de super heróis, Thor: Ragnarok investiu em seu estilo. O filme é esteticamente diferente dos anteriores da trilogia, ele se aproxima mais de Guardiões das Galáxias, inclusive nos aspectos visuais e sonoros que remetem a ideias da década de oitenta. Em Midgar temos poucas novidades, mas o planeta Sakaar é um espetáculo visual. A imensidão de sucatas de um ferro velho, os edifícios decorados com engrenagens colossais, a distinção de cada habitante daquele planeta, tudo mostra o empenho da Direção de Arte e de Fotografia ao construir aquele universo. Inclusive as diversas cores, extravagantes, são capazes de representar o governante tão peculiar quanto aquele local. Sakaar lembra Star Wars e Quinto Elemento e não só visualmente, mas também a atmosfera dos lugares destes filmes. Inclusive, para quem gosta do humor contido neles, Thor: Ragnarok é um prato cheio.

A Marvel entende que a carisma de seus personagens e o tom humorístico certo de seus filmes são pontos fortes em relação à concorrência. Thor: Ragnarok trabalha com o humor do inesperado. Ele cria uma expectativa e logo em seguida a frustra com um resultado cômico. Esse recurso é usado diversas vezes pelo filme: quando Thor invoca seu Mjölnir contra Sutur, quando ele se depara com seu primeiro oponente na arena de gladiadores, ao tentar quebrar uma janela para escapar. É divertido ver o herói que se considera “o maior vingador” se dando mal de vez em quando. Colocar um ser divino, que está acima de todos, como falho, o aproxima do mortal espectador que assiste ao filme e é tão imperfeito quanto ele.

Depois de alguns filmes repetitivos, a Marvel presenteia seus fãs com Thor: Ragnarok, uma obra com carisma e estilo. Dez anos após Homem de Ferro (2008), seu primeiro filme, a Marvel ainda é capaz de continuar expandindo suas possibilidades em criar novas ideias. Talvez, parte disso se deva à sua mudança para o maior estúdio criativo do mundo, a Disney. Mas de qualquer forma, Thor: Ragnarok é uma resposta para quem achava que em breve os filmes de super heróis perderiam o fôlego.

Trailers e Vídeos

trailers
x

Trailer: Thor Ragnarok

Ação, Aventura, Comédia, Ficção Científica

Avaliações ( 1 )

  • Henrique Nunes 31 / 10 / 2017 Resposta

    Depois de alguns filmes repetitivos, a Marvel presenteia seus fãs com Thor: Ragnarok, uma obra com carisma e estilo. Dez anos após Homem de Ferro (2008), seu primeiro filme, a Marvel ainda é capaz de continuar expandindo suas possibilidades em criar novas ideias. Talvez, parte disso se deva à sua mudança para o maior estúdio criativo do mundo, a Disney. Mas de qualquer forma, Thor: Ragnarok é uma resposta para quem achava que em breve os filmes de super heróis perderiam o fôlego.

    8 / 10

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

x